Estão mais pobres muitos dos mais ricos na lista da “Forbes

0

<span class="creditofoto">Foto epa</span> 

A lista é encabeçada pelos nomes do costume, com o fundador da Amazon, Jeff Bezos, a repetir a liderança e a somar mais uns milhares de milhões em relação a 2018. Ainda assim, há menos milionários em 2019, concluiu a “Forbes”, que assinala também a redução do património para 46% deles. Da lista, com 2153 nomes, consta apenas um português.

A lista ordena os muito, muito, ricos, mas uma das conclusões a destacar em 2019 é que estão mais pobres os milionários elencados pela revista norte-americana “Forbes”. No seu mais recente inventário, a revista revela que este ano há 2153 milionários – menos 55 que em 2018 -, 994 dos quais sofreram uma redução no seu património. Falamos de uma ‘pobreza’ relativa, claro, mas certo é que o número representa 46% do total.

Já agora diga-se que 247 nomes/pessoas saíram da lista, o maior número registado desde 2009, período no auge da crise financeira global.

Porque é de dinheiro que se trata, troque-se então a informação por unidades monetárias. Ao todo, as fortunas daqueles avaliados como os mais ricos do mundo somam 8,7 biliões de dólares, um tombo de 400 mil milhões de dólares em relação a 2018.

As perdas não se aplicam a Jeff Bezos, que repete a liderança alcançada no ano passado. O fundador da Amazon viu a sua fortuna aumentar 19 mil milhões de dólares em relação a 2018, o que significa estar agora avaliada em 131 mil milhões.

Seguem-se Bill Gates e Warren Buffett, com o nome de Mark Zuckerberg a saltar à vista um pouco mais abaixo: desceu da quinta para a oitava posição, o que surpreende menos se tivermos em conta que 2018 foi um ano duro para o Facebook, a empresa que dirige e que se viu envolvida numa série de polémicas.

<span class="creditofoto">Foto reuters</span> 

Para fechar o ‘top ten’, diga-se que o presidente do grupo francês LVMH, Bernard Arnault, continua a aparecer na quarta posição, seguindo-se o mexicano das telecomunicações Carlos Slim e o espanhol Amancio Ortega, fundador da Inditex e da Zara.

Em sétimo lugar surge o cofundador da Oracle, Larry Ellison; em nono Michael Bloomberg, fundador da empresa homónima de informações financeiras, com Larry Page, atual CEO da Alphabet, a fechar o grupo líder.

Apesar das quebras, na lista da Forbes também há lugar para novas entradas. Foram 195 os que conquistaram um lugar na famosa lista, entre os quais há espaço para um recorde. Arrecada-o a ‘socialite’ Kylie Jenner, que aos 21 anos se tornou oficialmente a milionária mais jovem do mundo a subir a pulso a escada da riqueza, como empreendedora, graças à linha de cosméticos que lançou há cerca de quatro anos.

<span class="creditofoto">Foto epa</span> 

Maria Fernanda Amorim, única referência portuguesa

No que a Portugal diz respeito, Maria Fernanda Amorim (e a sua família) volta a ser a única referência. O nome aparece classificado em 379º lugar(ocupava a posição 385 em 2018), com a fortuna da viúva do empresário Américo Amorim a ser avaliada em 4,8 mil milhões de dólares.

Duas últimas referências, uma delas para destacar que os Estados Unidos continuam a ver subir o seu número de milionários – é assim, ininterruptamente, desde 2010, com o total a chegar aos 607 este ano.

Já no que à China diz respeito, o número de milionários desceu. Eram 372 em 2018, são agora 324.

Por fim, falemos do número de mulheres milionárias, também em crescimento na última década (2016 foi exceção). Na lista de 2019 constam 243, apenas uma mais que em 2018, mas a confirmar uma tendência para a subida. A mais rica aparece na 15ª posição. Trata-se de Francoise Bettencourt Meyers, 65 anos, neta da fundadora da L’Oréal e presidente do conselho de administração da marca de beleza desde 1997.

Fonte: Jornal Expresso

DEIXE UMA RESPOSTA


Please enter your comment!
Please enter your name here