Angola: Visita do PR de Portugal a Angola: garante mais investimento luso na Huíla

0

Num breve discurso na sede do Governo Provincial da Huíla, o Presidente Marcelo fez estas considerações ao responder algumas das preocupações apresentadas pelo governador, que dizem respeito à necessidade de maior e diversificado investimento na Huíla. “Pretendemos trazer mais empresas e mais trabalho à Huila”, assegurou o Chefe de Estado português, que não se cansou de agradecer a calorosa recepção de que foi alvo no Lubango.

Na ocasião, o Presidente Marcelo dirigiu palavras de encorajamento ao governador Luís Nunes Fonseca, fundamentalmente por ter deixado a vida empresarial activa e ter abraçado o serviço público. Assegurou a presença de empresários portugueses na província, sobretudo, no domínio da agricultura, agropecuária, turismo e minas.
A outra preocupação do governador prende-se com o reforço no sector da Saúde. O Presidente de Portugal disse que acompanha com a máxima atenção estas preocupações e que, por isso, tem a secretária de Estado portuguesa na sua delegação. Marcelo Rebelo de Sousa reconhece, no entanto, que não se trata de uma matéria fácil.
Por sua vez, o governador provincial da Huíla, Luís Nunes Fonseca, apresentou, através de slides, a cidade do Lubango ao Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, a quem manifestou o desejo de, doravante, fazer uma caminhada conjunta rumo ao desenvolvimento sustentável. O governador acredita que a visita de Marcelo de Sousa a Huila vai ser um passo para a solidificação das relações entre os dois povos. “Esta visita solidifica ainda mais as relações dos dois povos que podem fazer a diferença no mundo”, afirmou Luís Nunes que aproveitou a ocasião para falar das potencialidades da Huíla, com realce para o turismo, agricultura, agropecuária e exploração mineira. Para Luís Nunes, com esta visita, está lançado o mote para o iniciar de um percurso conjunto do qual as futuras gerações se orgulharão. O governador recorreu ao ditado popular segundo o qual “se tens pressa vai sozinho, mas se queres ir longe, vai junto.”
Relativamente às obras em curso na capital da província da Huíla, o governador referiu-se à circular do Lubango que termina nos próximos oito meses e que vai absorver um montante de 154 milhões de Euros. Dos 65 quilómetros previstos, 40 já estão concluídos.
Num curto discurso, o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que nunca na sua vida tinha feito uns escassos 10 quilómetros de carro em duas horas e 20 minutos. “Nunca tinha tido uma experiência tão forte como a que vivi hoje na cidade da Huíla”, afirmou o Chefe de Estado português, que ainda ontem seguiu para Benguela, onde hoje participa num fórum empresarial entre Angola e Portugal.
No Lubango, Marcelo Rebelo de Sousa visitou Governo Provincial, o futuro Museu dos Caminhos-de- Ferro, ISCED, Universidade Mandume Ya Ndemofayo e Escola Portuguesa na Huíla.

Gestos de afecto

O Presidente português chegou na manhã de ontem à cidade da Huila, onde permaneceu durante oito horas. No Aeroporto Internacional da Mukanka, inaugurado em 1951 e remodelado em 2009 para responder à demanda do Campeonato Africano das Nações, em 2010, Marcelo Rebelo de Sousa foi recebido pelo governador provincial da Huíla, Luís Nunes.
“Ti Celito”, como também é carinhosamente chamado em Angola o Chefe de Estado português, foi acompanhado pelo ministro angolano da Administração do Território, Adão de Almeida, o ministro dos Transportes e Ensino Superior. Depois da saudação aos membros do Governo Provincial, Marcelo Rebelo de Sousa não só apreciou a dança tradicional do grupo folclórico “os Kamatemba”, da Humpata, mas com ele fez uma selfie.
Do aeroporto, o Presidente Marcelo seguiu para a sede do Governo Provincial. Mas de Munkaka à sede do gover-no, Marcelo fez quase duas horas. Com a porta de trás do carro protocolar que o transportava, numa velocidade de 10 quilómetros a hora, o Presidente acenou para todas as pessoas que o aguardavam da extensa avenida que dá ao aeroporto, sem pressa e cheio de afectos.
A escassos metros da sede do Governo Provincial da Huíla, onde era aguardado, Marcelo preferiu caminhar e com ele toda a delegação. Uma multidão instalou-se à volta do Palácio. Depois do encontro na sede do Governo Provincial, o Presidente português visitou o futuro Museu dos Caminhos-de-Ferro, foi ao ISCED e visitou a Escola Portuguesa na Huíla.
Durante uma aula magna, na Universidade Mandume Ya Ndemofayo, o Presidente de Portugal destacou que a Constituição de cada país deve estar ao serviço da dignidade da pessoa humana e ser “guardiã” dos valores fundamentais.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA


Please enter your comment!
Please enter your name here