Angola: Fiscalização Aduaneira impede saída ilegal de kwanzas e divisas

0

A Administração Geral Tributária (AGT) apreendeu, no decurso do ano transacto, um milhão 106 mil dólares, 220 mil euros e 50 milhões de kwanzas, nos principais postos de entrada e saída do país, incluindo o Aeroporto 4 de Fevereiro.

O chefe do departamento da Direcção de Fiscalização Aduaneira da AGT, Euclides Mixinge, que prestou a informação ao Jornal de Angola, disse que as apreensões foram feitas de cidadãos nacionais e estrangeiros que tentavam entrar e sair do país com montantes superiores aos estabelecidos pelo Banco Nacional de Angola (BNA).

Ainda durante o ano passado, prosseguiu, a AGT apreendeu 136 quilates de diamantes, sete quilates de ouro, 700 contentores de madeira, 107 peças de marfim e 207 produtos eróticos, por tráfico ilegal.

No período em referência, a instituição aprendeu, também, 38.870 volumes de mercadorias diversas, incluindo cosméticos, calçados, artigos de joalharia, produtos de higiene e material escolar, por tentativa de fuga ao fisco.
A maior parte das infracções, de acordo com o departamento da Direcção do Serviços Aduaneiros da Administração Geral Tributária, foram registadas nas províncias de Luanda e Bengo.

“O Aeroporto de Luanda, devido ao grande fluxo de passageiros tem sido palco do maior número infracções aduaneiras. Acreditamos que a crise económica tem impulsionado a procura pelo lucro fácil”, disse.

Euclides Mixinge assegurou que a AGT vai intensificar as campanhas de sensibilização para dar a conhecer as pessoas os procedimentos aduaneiros aplicáveis no tratamento e desembaraço de mercadorias. “Queremos também aprimorar os métodos aduaneiros para garantir maior controlo no tratamento de mercadorias que chegam ao país”, ressaltou.
O aviso 1/2016 do Banco Nacional de Angola (BNA), lembrou Euclides Mixinge, fixa em 50 mil kwanzas e 10 mil dólares os montantes que cada viajante pode levar para o exterior do país. “O que se verifica é que as pessoas socorrem-se de vários expedientes para conseguir sair do país com avultados montantes em moeda estrangeira”, disse.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA


Please enter your comment!
Please enter your name here